Outubro rosa – Novembro azul

Observamos a cada ano um maior envolvimento das entidades e estabelecimentos nessas campanhas. Neste mês, nossa região ficou linda (e rosa)! Alguns prédios iluminados de rosa, outros com laços rosas, muitas lojas com vitrines com roupas ou produtos cor-de-rosa, muitas pessoas usando roupas cor-de-rosa ou, pelo menos, com o lacinho na roupa. Novembro será assim também! Tudo azul!

O OUTUBRO ROSA é comemorado em muitas partes do mundo, com o objetivo de chamar atenção para a prevenção do câncer de mama. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama.

O NOVEMBRO AZUL é então a vez de alertar os homens, sobre a prevenção do câncer de próstata.

Claro que devemos lembrar desses assuntos durante o ano todo, não apenas em outubro e em novembro. No entanto, estes meses tem-se tornado representativos  para estas causas, servindo para chamar a atenção da comunidade.

O câncer de mama se diagnosticado precocemente pode ter taxas de até 95% de cura.

Recomenda-se mamografia anual após os 40 anos de idade, como exame de rotina. A ecografia é usada para complementação da mamografia, em casos indicados, ou para avaliar anormalidades percebidas em mulheres abaixo de 30 anos.

O auto-exame é estimulado, apesar de não ser eficaz como medida isolada. O exame das mamas pela própria mulher deve fazer parte de um conjunto de ações de educação para a saúde, que visem o conhecimento do próprio corpo. É recomendado que essa prática se inicie entre 20 e 25 anos.

Toda mulher deve ser examinada pelo seu ginecologista na consulta de rotina anual, mesmo que não tenha queixas mamárias. Ou buscar atendimento pelo mastologista para prevenção e avaliação de rotina.

Assim como as mulheres devem ter o hábito de fazer suas revisões ginecológicas anuais, os homens após os 50 anos também devem fazer consultas de rotina com um urologista.

Como medidas de prevenção tem-se recomendado hábitos de vida saudáveis, como controle do peso, limitar o consumo de álcool, consumir maior quantidade de frutas, vegetais e fibras, e substituir o consumo de gorduras saturadas  por mono e poliinsaturadas, e a prática de exercícios físicos, bem como não fumar.
E quem vive bem, adoece menos!

Gabriela Santos
Médica Mastologista
CREMERS 24627