A adolescência e o risco nutricional

Cada vez mais se sabe que ter uma dieta variada e balanceada é importante, mas poucas são as pessoas que põem tal conhecimento em prática. Na infância os pais controlam mais os tipos de alimentos que os filhos consomem. Na adolescência parece haver uma espécie de abandono de tal cuidado. E justamente nessa fase haverá o estirão puberal, com aumento na demanda de proteínas, vitaminas e nutrientes variados.

Os hábitos alimentares adquiridos nessa fase serão levados para o resto da vida e temos o compromisso  de orientá-los para que possam evitar doenças futuras como obesidade, hipertensão,diabetes, entre outras.

Talvez por falta de tempo, preguiça ou comodismo são poucas as famílias que ainda conseguem se reunir para almoçar no dia a dia. Houve, portanto, uma substituição do nosso nutritivo arroz com feijão, carne e salada pelos fast foods, que são uma verdadeira bomba calórica.

Os adolescentes consomem quantias exageradas de alimentos industrializados, frituras, catchup, maionese, refrigerantes, sucos artificiais e muitas outras “bobagens”, que tem alto valor calórico e baixo valor nutricional.

A dieta inadequada associada ao sedentarismo (excesso  de uso de computador, tablet, celular) e à privação de horas de sono terão consequências imensuráveis na qualidade de vida, na estatura final e na qualidade do  aprendizado do adolescente.

DICAS:

-Nunca deixar de tomar um bom café da manhã
-Não abandonar o consumo de leite
-Evitar uso de suplementos, principalmente se indicados por amigos
-Evitar dietas da moda
-Não “pular” refeições
-Ter o hábito de mastigar bem os alimentos
-Fazer pequenos lanches entre as refeições principais – lembrar  das frutas!!!
-Beber água ao invés de qualquer outro líquido

Quanto mais colorida nossa dieta, mais nutritiva ela será!

Dra Margarete Fernandes dos Santos
Pediatra CRM 18342