Alergias no período primavera-verão

As pessoas alérgicas , por serem mais sensíveis, acabam sofrendo neste clima que temos aqui na região sul. Hora temos frio e umidade alta, hora temos calor e ar muito seco com o aumento de pólens no ar.
Na primavera encontramos esta alternância de clima, muitas vezes prejudicial para os indivíduos alérgicos, que acaba causando um aumento de problemas respiratórios e também doenças de pele.
O paciente alérgico padece de doenças como rinite alérgica, sinusites de repetição, tosse , falta de ar (asma alérgica) e conjuntivites.
Na primavera os pólens em dias com vento, podem causar sérios problemas como prurido(coceira) nos olhos e no nariz dos pacientes sensíveis. Estas crises quando repetitivas, acabam por causar as sinusites que muitas vezes se tornam crônicas.
A pele, se não cuidada, torna-se seca e suscetível a dermatites com coceira e prováveis infecções!
Cabe a nós médicos que tratamos problemas respiratórios e de pele, que orientemos nossos pacientes com prevenção e tratamentos específicos para aqueles casos mais graves onde os tratamentos usuais e convencionais não trazem sucesso.
Atualmente existem métodos diagnósticos e testes específicos para o correto tratamento de doenças respiratórias alérgicas como para problemas de pele como dermatite atópica (pele seca do alérgico) das urticárias crônicas que pioram em muito a qualidade de vida do paciente alérgico.
Com certeza, com a indicação e, principalmente, interpretação correta de testes alérgicos é que, teremos sucesso no controle deste paciente mais sensível!

As vacinas de alergia (imunoterapia específica), quando bem indicadas e realizadas por médico com experiência na área, são o único tratamento para pacientes alérgicos com grande sensibilidade aos aeroalérgenos como poeira e pólens!
Isto está demonstrado em todos os consensos nacionais e internacionais no tratamento de alergias respiratórias ( consenso das sociedades internacionais, brasileira de alergia e imunopatologia e da sociedade brasileira de otorrinolaringologia).
Também temos como opção de tratamento a anti ige, que é usada para casos de asma de dificil controle e urticária alérgica crônica.
O que sabemos é que , com certeza existe melhora na qualidade de vida do paciente alérgico! Basta empenho e seriedade tanto de quem procura e, principalmente do médico que trata e orienta o paciente alérgico!

Dr Bayard Mercio Feltes
Médico Especialista pela Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia
Médico Pós-graduado pela PUC do RJ

Fonte: Jornal NH – Caderno Saúde – Segunda-feira, 19 de setembro de 2016.