Aprenda sobre a metformina no tratamento do diabetes

A metformina foi lançada para o tratamento do diabete tipo 2 (DM2) há quase 70 anos e tem sido ferramenta muito importante no controle da doença. Pacientes que tem DM2 e usam metformina têm uma redução significativa de morte por doenças cardíacas. Quanto mais tempo usar, mais proteção terá, por isso a recomendação é que se inicie a metformina no momento em que se faz o diagnóstico do DM2, sempre aliado às mudanças do estilo de vida. Vamos tirar algumas dúvidas sobre a metformina?

1. Qual o melhor horário para tomar a metformina? Por causa da possibilidade de náuseas e/ou dor abdominal no início do tratamento, recomenda-se tomar os comprimidos de metformina junto ou logo após a refeição. Daí a tolerância é melhor. Depois do organismo estar acostumado ou se nunca teve nenhum efeito colateral, a medicação pode ser tomada antes da refeição.

2. Quais os efeitos colaterais da metformina? Os principais efeitos colaterais são náusea, vômito, dor na boca do estômago, falta de apetite, diarreia, gases, cólica e dor abdominal. Usar após as refeições e começar com doses mais baixas pode ser uma alternativa para melhorar a tolerância. As apresentações XR, por ter uma liberação mais lenta, tem menos efeitos colaterais. Se os efeitos persistirem, a medicação deve ser suspensa.

3. A metformina pode prejudicar os rins? A metfomina não causa problemas renais. Mas pessoas que tem insuficiência renal precisam usar doses menores ou, se for uma insuficiência renal mais grave, não podem usar a metformina. Isso porque a medicação precisa dos rins funcionando para ser eliminada e caso isso não ocorra pode acontecer um acúmulo de ácido no organismo (acidose lática). A acidose lática é grave e pode levar a um sério comprometimento dos órgãos e até a morte.

4. Ao usar metformina XR, percebe-se eliminar o comprimido inteiro nas fezes. O que é isso? Isso é normal. As apresentações XR são preparadas utilizando um comprimido que vai se hidratando a medida que percorre o sistema digestivo, liberando lentamente a metformina. No final, esse comprimido pode ser visto inteiro, mas a medicação já foi liberada, o que garante o seu efeito.

5. Quais são as contra-indicações para o uso da metformina? Insuficiência renal severa ou em hemodiálise; insuficiência cardíaca congestiva; situações em que pode faltar oxigênio no sangue (doenças respiratórias agudas ou crônicas; insuficiência hepática). Antes de uma cirugia ou durante uma hospitalização prolongada, deve-se interromper temporariamente o uso da metformina, conforme orientação médica.

6. Por que parar a metformina quando fazer exames contrastados (ex. tomografia)? O uso do contraste na veia em alguns casos pode ser tóxico para os rins, ocasionando uma parada no seu funcionamento. Como foi dito acima, se os rins pararem de funcionar, a metformina acumula no organismo e pode gerar uma complicação chamada acidose lática. Recomenda-se parar a metformina do dia do exame até 48 horas após, com controle da função renal.

Dr. Eduardo Guimarães Camargo
CRM 23404

Fonte: Jornal NH – Caderno de Saúde – Segunda-feira, 27 de março de 2017.