Beleza insaciável
Estamos nos aproximando do verão. Para alguns isto pode não significar muito, mas para outros isto é um motivo para grandes preocupações e mudanças.

Na era das celebridades, do glamour, do espetáculo, a aparência é tudo. Não existe tristeza, sofrimento, feiura, sobrepeso, espinhas, porque para tudo existe uma solução imediata.

Nesta época do ano, a busca por um corpo perfeito e da “barriguinha retinha” para o verão, faz com que as pessoas busquem incansavelmente fórmulas mágicas para obter este resultado.

Tem se observado um uso crescente de anfetaminas por pessoas de ambos os sexos com a finalidade de se tornarem “imagem e semelhança” dos artistas de televisão e revistas, mitos da perfeição. O uso desta classe de medicações muitas vezes é desconhecido pelo consumidor, que compra “fórmulas naturais” sem a informação do conteúdo.

Anfetaminas são estimulantes psicomotores com ação no sistema nervoso central e periférico. Elas possuem graves problemas associados a sua utilização que, somados aos de um benzodiazepínico (tranqüilizante), podem resultar numa verdadeira “bomba neurológica de ação central”, podendo causar uma desestruturação no equilíbrio deste sistema.

Os usuários instrumentais consomem a anfetamina com objetivos específicos, tais como: melhorar o desempenho no trabalho e para emagrecimento. No Brasil, o uso em geral, se concentra em problemas estéticos. São na maioria mulheres, jovens, NÃO OBESAS, com vontade de manter a boa forma. O custo é alto, tanto para a saúde física quanto mental. O EFEITO ANOREXÍGENO É LIMITADO.

Quadros ansiosos agudos, com sintomas de inquietação, podem aparecer na intoxicação e podem vir acompanhados por irritabilidade, tremor, ansiedade, labilidade do humor, cefaléia, calafrios, vômitos, sudorese e verborragia.

Há um potencial de abuso dessas substâncias devido à sua capacidade de causar bem-estar  e estados eufóricos.  O uso prolongado de baixas doses ou a administração de uma única dose alta são, caracteristicamente, seguidos de intensa depressão mental e fadiga. Já usuários crônicos de altas doses, têm comportamentos estereotipados, explosões súbitas de agressividade e violência, delírios paranóides e anorexia severa. Pode se desenvolver um quadro psicótico, sem distinção do surto agudo da esquizofrenia.

A síndrome de abstinência é caracterizada pelo aparecimento de fissura intensa, ansiedade, agitação, pesadelos, redução de energia, lentificação, humor depressivo, sonolência e aumento do apetite.

A BUSCA DA BELEZA PODE TER UM PREÇO ALTO DEMAIS!

Dra. Caroline Peter Scherer
CRM 25436