Celular em sala de aula

Estamos iniciando mais um ano letivo e acho pertinente a sociedade realizar este debate. Crianças e adolescentes devem ter o direito de ficar com o celular ligado e conectado em período de aula? Cabe lembrar que esses, pela imaturidade, não toleram esperar, agem pelo prazer imediato e são incapazes, na maioria das vezes, de julgar os danos de seu comportamento.

Parando 5 minutos numa esquina no centro, percebi a quantidade de motoristas, que dirigiam teclando, mesmo sabendo que é ilegal, gera multa e os riscos para atenção e reflexos no trânsito. Prejuízo considerado semelhante ao álcool, contudo com a mesma dificuldade de compreender e cumprir a lei. Isto posto, o que esperar de crianças e adolescentes que suportem a frustração de esperar até o intervalo para ligar o celular, uma vez que os outros não conseguem?

Nosso país passa por uma grave crise de valores, onde o individual (egoísmo) está acima do coletivo. As leis são as regras do jogo e são necessárias para organizar a sociedade, com o propósito de evitar a barbárie e o caos. Ademais garantir a democracia e que os direitos de todos sejam respeitados. Nós brasileiros temos dificuldades de aceitarmos e obedecermos a ordenamentos legais, que contribuem com o que é mais justo para todos, queremos sempre criar uma exceção que coloque o individual acima do coletivo.

Explicitado os fatos, pergunto: Para que servem as leis e as regras? Servem para todos. As crianças e adolescentes necessitam de leis e regras claras, que se didatizadas tornam-se fáceis de ser entendidas. Outra forma de aprendizado das crianças é o exemplo que vem dos Pais e/ou responsáveis.

Diante desse contexto, é papel da escola e do Círculo de Pais e Mestres determinar ou não a liberdade dos jovens terem o celular em mãos. Criar regras para o coletivo, sem exceções para uma minoria. É importante para formação dos valores e caráter dos jovens, que aprendam a respeitar as regras e a lei. Chamo atenção para essa matéria, para não cairmos em retrocessos e voltarmos aos anos 90, quando a ideia era que filhos para se desenvolver, não deveriam ter limites. Essa foi a grande aprendizagem que trouxemos para o século XXI. A importância dos limites!

Em minha opinião o celular e a internet, esta nova ferramenta, podem e devem ser usada em aula, desde que proposto pelo professor e para atividades específicas. Crianças e adolescentes precisam compreender e apreender para que servem e que regras e lei,  são para ser cumpridas, independente de concordar ou não. Quando as regras e leis não são claras, cada um faz o que quer.

Dr. Andres Kieling
Psiquiatra – CREMERS 15169

Fonte: Jornal NH – Caderno de Saúde – Segunda-feira, 06 de março de 2017.