Chocolate vilão?
 Por muitos anos o Chocolate foi visto como vilão. Espinhas, sobrepeso e até alergias eram, muitas vezes, creditados a ele sem razão, já que não haviam estudos concretos mostrando que o alimento provocasse tantos danos. Claro que, se ingerido excessivamente não vai fazer bem, mas em pequenas quantidades pode trazer benefícios. É isso que mostra um estudo feito pela Universidade de L’Alquila, na Itália, onde 15 pessoas ingeriram 100g de chocolate por dia durante duas semanas. Ao final, eles apresentaram uma queda na pressão arterial e uma maior capacidade do corpo em metabolizar o açúcar. O principal responsável pelos benefícios é o Flavonol, um antioxidante que neutraliza radicais livres.
 
Além disso, o chocolate puro possui diversos nutrientes como magnésio, ferro e niacina. De acordo com um estudo feito pela Sociedade de Química dos E.U.A, o chocolate contém polifenol, um composto que impede a formação do mau colesterol (LDL); Possui, também, Feniletilamina, uma substância natural produzida pelo cérebro cuja produção aumenta quando a pessoa está apaixonada.
 
O chocolate também está sendo usado como um excelente tratamento de beleza. É a Chocoterapia, que ajuda no combate ao envelhecimento, a flacidez, a celulite e ao estresse através de sua ação antioxidante por via cutânea. Em forma de creme ou gel os produtos, aplicados no rosto e no corpo, produzem efeitos comprovados, que ainda proporcionam relaxamento à pele. Normalmente os produtos são uma mistura de cacau, óleo de amêndoas e sais. Outra técnica é o invólucro de chocoterapia, que consiste em aplicar uma espuma especial feita com derivados do cacau. 
 
Além dos benefícios para o corpo, o cacau induz a produção de endorfinas, que aumentam a atividade da serotonina, um neurotransmissor que favorece o bom humor. 
 
Vale Lembrar:
O chocolate é altamente calórico, por isso deve ser consumido com moderação. O ideal é não ultrapassar o limite diário de 50g;
Pessoas sensíveis podem ter enxaqueca provocada por alergia ou devido à ação de substâncias vasodilatadoras presentes no chocolate.
 
FONTE: saúde.com.br