Colesterol

Esta palavra moderna que hoje faz parte do dia a dia da saúde e que de certa forma atemoriza a saúde dos indivíduos, mas cada vez mais presente na alimentação moderna do quase tudo industrializado, semi pronto ou do tele entrega.

Após o diagnóstico do colesterol elevado será muito importante que alguns cuidados passem a fazer parte das nossas rotinas, para manter o controle e a médio e longo prazo a qualidade de vida. As placas de ateroma, ou aterosclerose que desencadeia o infarto agudo do miocárdio, ou o AVC, ou a obstrução arterial, seja ela em que órgão for, na verdade começou talvez há 15, 20 ou mais anos atrás com o descuido nos níveis de colesterol que através do ambiente adequado aderiram às artérias dando o início do processo da placa que um dia vai obstruir ou subocluir uma artéria.

O colesterol é um tipo de lipídio (gordura) produzido pelo nosso organismo e é fundamental para o seu funcionamento. Ele está presente em alimentos de origem animal, como carnes, frutos do mar, gema do ovo, leite e seus derivados. Podemos encontrar também nos alimentos industrializados como bolos, biscoitos, chocolates, tortas e sorvetes. Em nosso organismo o colete rol desempenha funções essenciais, como a produção de hormônios e vitamina D. No entanto seu excesso é altamente prejudicial à saúde, aumentando o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

Podemos classificar o colesterol, como popularmente é conhecido. O LDL conhecido como o ruim que pode se depositar nas artérias provocando seu entupimento, e o HDL, considerado como o bom, que retira o excesso de colesterol das artérias, impedindo seu depósito e diminuindo a formação da placa aterosclerótica.

Para manter uma boa qualidade de vida, é fundamental aderir ao tratamento, que muitas vezes se faz necessário por longos períodos e quando já existe a doença cardiovascular praticamente pela vida toda. Além da medicação, é necessário aderir a novos hábitos alimentares e estilo de vida, com uma alimentação balanceada, perder peso, caso exista o sobrepeso e realizar atividade física com exercícios aeróbicos, mas sempre de acordo com as recomendações médicas, especialmente se já existe doença instalada.

A medicação deve ser tomada nos horários corretos, os exercícios devem obedecer a uma regularidade com aumento gradativo das atividades, de acordo com a faixa etária e o peso calculado de acordo com amassa corporal. Muito fácil – IMC – índice de massa corporal que pode ser obtido dividindo o seu peso por sua altura ao quadrado. O IMC considerado saudável é entre 18,5 e 24,9.

De modo muito simples, aposte em: alho, brócolis, abacate, aveia, azeite de oliva, vinho tinto, peixe, grão de bico, goiaba, berinjela, soja entre outros e cuidado com: carnes gordurosas, bacon, pele de frango, embutidos como lingüiças, salsichas, salames, manteiga e creme de leite, frituras, queijos amarelos e cremosos, gema de ovo, sorvetes cremosos, bolos, bolachas e biscoitos industrializados, bebidas alcoólicas.

RAUL CASSEL
CRM 15.315