Conceitos na cirurgia plástica
Especialidade tão divulgada na atualidade, merece uma análise mais profunda nos seus conceitos e realidades. Seguido ouvimos que a “Plástica” torna-se um vício, o que em parte é verdade, pois quem não gostaria de melhorar seu visual externo, com uma grande injeção na sua autoestima? Todo mundo! Esta é a experiência de quem se submete a um procedimento de rejuvenescimento ou correção do corpo após uma ou mais gestações. O medo, falta da experiência e condições econômicas, na maioria das vezes, inibe a iniciação das pessoas  no processo da primeira consulta, o que fica muito mais fácil nas consultas e cirurgias subseqüentes (assim como em tudo na vida).

Qual a idade certa para as cirurgias? Nas correções de deformidades da face a partir de um mês de vida, orelhas de abano (por segurança) a partir dos oito anos, diminuição dos seios após quatro anos da primeira menstruação e/ou 16 anos, nariz após a formação da face em torno dos 16 aos 18 anos (o que não impede antecipar cirurgias funcionais, como desvio do septo ou hipertrofia de cornetos). Noutra situação se encaixam as cirurgias de rejuvenescimento ou melhora do contorno corporal, onde a queixa da paciente tem que ser avaliada e validada por um cirurgião plástico. Isto porque nem sempre as queixas são compatíveis com um tratamento cirúrgico, que envolve riscos e alterações cicatriciais definitivas. Definida a necessidade, parte-se para a avaliação das condições clínicas e mensuração do risco.

Portadores de diabete ou hipertensão arterial podem se submeter à cirurgia plástica? Pessoas com alterações em sua condição física por: doença, excesso de peso, fumante, idade avançada, transplantados, deverão ser melhores avaliados em suas funções básicas e classificados conforme a cirurgia, tipo de anestesia e tempo de cirurgia, para serem aprovados. É claro que seus riscos serão um pouco maiores do que nas pessoas sem tais alterações.

Como será o resultado de minha cirurgia? Ninguém sabe exatamente, nem mesmo o seu cirurgião. Pela nossa experiência podemos fazer uma previsão aproximada, pois não podemos nos esquecer que somos médicos e nossa matéria prima é a mais variada que existe, além de ser a mais importante. Deve-se discutir e entender o que será realizado e não extrapolar nos anseios de resultados, certamente haverá uma melhora que, além do serviço realizado pelo cirurgião, depende de múltiplos aspectos como cicatrização, idade, tipo de tecidos, cuidados e mais.

Qual o tempo de vida dos resultados? Não podemos nos esquecer que a partir da realização da cirurgia ou outro tratamento estético, já iniciamos a envelhecer. Esta durabilidade está diretamente ligada à idade, tipo de pele, hábitos, cuidados no pós- operatório imediato e características genéticas. Traduzindo, não se manterá para sempre!  Lembrem-se sempre que nossa saúde física e também estética está diretamente vinculada a um tripé: EXERCÍCIO, DIETA SAUDÁVEL (MANTENDO O PESO IDEAL) E CIRURGIAS NOS TEMPOS ADEQUADOS.

Dr. Kleber Fisch
CRM 13824