Esclarecimentos sobre pílulas anticoncepcionais e trombose

Sempre se soube nos meios médicos que hormônios sexuais femininos influenciam a coagulação aumentando o risco de eventos tromboembólicos. Mas hormônios não só das pílulas, como os leigos pensam. Está confirmado cientificamente que  os  hormônios normais  na fase da gestação também.

A incidência de acidentes tromboembólicos com pílulas combinadas (essas mais usadas com estrogênio e progesterona)  é baixa, cerca de 5 a 10 casos por 10.000 mulheres em um ano de uso, enquanto que durante a gestação  é de 30 casos em 10.000 / ano. Ou seja, durante o ciclo gravídico o risco é 3 x maior do que com o uso dessas pílulas.

Os fatores de risco são idade, índice de massa corporal (sobrepeso aumenta risco), tabagismo, sedentarismo, presença de veias varicosas, hipertensão arterial, diabete, além de história familiar (doenças chamadas de trombofilias).

As pílulas mais modernas visam menores efeitos colaterais ou têm efeitos cosméticos (menor retenção de líquido no corpo e muitas combatem pelos e acne). O comentado Diane 35 da empresa Bayer, por exemplo, é uma pílula muito usada para tratar acne e aumento de pelos, fatores que muitas vezes ocorrem em mulheres com problemas metabólicos e também muitas vezes com sobrepeso. Ou seja, já são mulheres com mais riscos. Além disso, o único país que proibiu a venda desse anticoncepcional foi a França, onde as mulheres fumam demais, muito mais do que noutros países; recordando o tabagismo é um fator que aumenta o risco. Não há outros países que tenham  suspendido  a venda de tais pílulas; aliás há várias pílulas que são cópias idênticas no Brasil, usadas pela nossa  comunidade sem o conhecimento de que o conteúdo é o mesmo.

Na vida tudo é uma questão de opção.  Há de se contrabalançar o risco do uso da pílula com o risco de engravidar.  Dizem os estudos que até os 35 anos é mais seguro tomar pílulas anticoncepcionais do que engravidar, pois o risco do uso da pílula é tão baixo, que é menor estatisticamente do que o risco que se corre no ciclo grávido-puerperal.

Dra. Carmem Helena Snel- crm 13284
Especialista em Ginecologia-Obstetrícia pela FEBRASGO
Especialização em Geriatria na Ulbra
Especialista em Acupuntura Médica pelo Colégio Brasileiro de Acupuntura Médica