Esvaziamento da mente
A cada dia que passa ouvimos mais pessoas ao nosso redor com queixas de falta de memória, dificuldade de concentração e inclusive déficit de atenção.

Em meio a tantas queixas eu sempre me pergunto, será falta de atenção ou excesso de informação?

Você deve estar achando que quero ir contra a evolução, afinal, o momento é de multitarefas. Nada disso, não quero parar o mundo, mas quero proteger a ferramenta mais valiosa que temos, o cérebro.

Vivemos em uma cultura de acessos incessantes, mails e mídias sociais, aceitando a todo o instante informações de tipos variados, sem critério algum, que nos ocupam espaço e energia mental. Estímulos sem filtro, de variados assuntos, e tudo ao mesmo tempo.

Nos tornamos uma geração sem foco. A tecnologia e o excesso de informações acabam por trazer elevado grau de distração na mente, fazendo com que se sinta uma incapacidade de concentrar – melhor traduzida como incapacidade de parar.

Estamos conectados à máquinas e não mais a pessoas. Fomos invadidos por tecnologia digital, já perdemos nossa privacidade e agora estamos perdendo a nossa capacidade de pensar. Sem perceber estamos deixando de lado o nosso potencial intelectual para ir em busca de textos prontos, respostas imediatas, receitas mágicas e muito mais que a tecnologia moderna possa vir a nos oferecer.

Viramos reféns da tecnologia e já acreditamos na nossa incapacidade de nos concentrar. A atenção é como um músculo que pode ser treinado, mas temos que dar tempo para parar e concentrar. Em outras palavras, tem que desligar. Não estamos dando oportunidade para refletir. Se nos permitíssemos parar por alguns minutos para absorver uma informação, esta seria com certeza melhor aproveitada. Sem concentração perdemos o controle de nossos pensamentos, ficando difícil desenvolver um raciocínio lógico e criativo.

O mundo não vai mudar, a tecnologia vai seguir evoluindo e penetrando cada vez mais no nosso dia a dia nos deixando poucas chances de reagir. Temos que procurar nosso espaço e nos reencontrar antes que seja tarde.

Dra. Caroline Scherer
Médica – Psiquiatria
CRM 25436