Higienização das mãos reduz infecções
         O hábito de lavar as mãos previne e reduz infecções, promovendo a segurança de pacientes, profissionais de saúde e da população em geral. As mãos são as principais vias de transmissão de germes e microrganismos em geral e, assim, sua correta higienização pode evitar o desenvolvimento de uma série de doenças, como diarreia, resfriados e conjuntivite.
         A enfermeira Mariane Arce Bastos – Serviço de Controle de Infecção do Hospital Moinhos de Vento, explica que a pele pode esconder diversos microrganismos e, a partir de contato direto com outras pessoas, ou indireto, por meio de superfícies e objetos contaminados, as mãos representam as principais vias de transmissão de microrganismos. Segundo a Organização Mundial da Saúde é possível reduzir em até 40% a incidência de infecções, como a diarreia, com o simples ato de lavar as mãos. “Ao remover o suor, a oleosidade e as células mortas, impossibilitamos a formação de um ambiente propício à permanência e à proliferação desses microorganismos”, destaca Mariane.
         Ações simples e corriqueiras como coçar os olhos, o nariz, a boca, falar ao telefone, contar dinheiro e cumprimentar as pessoas podem causar doenças caso a higienização das mãos seja dispensada. A contaminação acontece principalmente quando uma pessoa entra em contato com os vírus, os fungos, e as bactérias.
         O álcool em gel é tão eficaz para limpar mãos quanto o uso de água com sabão. É importante estar atento a detalhes na embalagem que indicam a concentração ideal de álcool entre 60% a 80%. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a quantidade recomendada deve ser equivalente a um grão de ervilha, sendo suficiente para garantir uma eficiente higienização das mãos.
         Uma série de doenças pode ser transmitida pela falta de higienização das mãos: resfriado, gripe, conjuntivite, doenças de pele e/ou erupções na pele, diarreia, hepatite e infecções respiratórias, no ouvido e na pele.
Baixas temperaturas
         Com a chegada dos dias mais frios, as pessoas permanecem mais em ambientes fechados, o que aumenta o risco de contrair doenças virais e bacterianas. Alguns cuidados evitam que essa transmissão ocorra a partir do contato das mãos:
– Ao espirrar ou tossir, cubra o nariz e a boca com lenço de papel. Na falta destes itens, cubra a boca e o nariz com o antebraço, evitando sujar as mãos.
– Se não for possível higienizar as mãos, evite tocar os olhos, nariz ou boca após tossir ou espirrar.
– Tente não entrar em contato com indivíduos doentes ou mantenha distância de pelo menos um metro.
– Não compartilhe lixas, cortador ou alicate de unha, uma vez que as unhas também podem acumular microrganismos nocivos à saúde.
– Lave bem as mãos antes de colocar e tirar as lentes de contato.
Fonte: hospitalmoinhosdevento