Limpeza da caixa d’água
A limpeza periódica, preferencialmente a cada 6 meses, da caixa d’água é imprescindível para evitar o surgimento de vários tipos de moléculas como, por exemplo a hepatite e o tifo. A contaminação da água pode ocorrer devido ao acúmulo de sujeira, infiltrações e o acesso de insetos que facilitam a proliferação de bactérias transmissoras de doenças.
O trabalho de limpeza e de higienização dos depósitos de água dos prédios deve ser feita por empresa especializada ou pessoas que possuam qualificação suficiente para detectar os problemas e executar trabalhos complementares como impermeabilização e dedetização das tampas e reservatórios. Ou seja, só a limpeza não é suficiente, os cuidados devem ser os maiores possíveis para garantir o melhor nível de potabilidade de água.
É claro que a impermeabilização, que evita vazamentos e até mesmo infiltrações, não se faz necessária em todas as limpezas. Mesmo assim o procedimento de retirar a sujeira e desinfetar as caixas serem bastante simples, o ideal é que elas sejam por pessoal qualificado.
Primeiro o registro geral é fechado. Em seguida é feito o esvaziamento da caixa da água existentes nos depósitos, para evitar que a sujeira entre na tubulação, deve-se deixar um pouco de água e fechar os expurgos das caixas.
Com a água que sobrou no reservatório, a limpeza é feita apenas com escova e vassoura de nylon. Nada de sabão, detergentes e outros produtos químicos. A retirada deste material é feita com baldes e panos limpos.
Abertos os expurgos e o registro geral, as paredes, já escovadas, devem ser enxaguadas com água corrente.
Com o reservatório novamente cheio devem ser adicionados 2 litros de água sanitária para cada 1000 litros de água, sendo que esta água não deve ser usada por 2 horas. Passando este tempo o registro deve ser fechado novamente e o reservatório esvaziado mais uma vez. desta forma os canos estão sendo desinfetados.
O passo final é limpar as tampas dos reservatórios e recolocá-las no lugar. O registro é aberto e a água estará pronta para o consumo.
Abordando este assunto estamos incentivando as pessoas reverem suas caixas d’água que podem estar danificadas, tampas quebradas e som isso semiabertas, podem estar vulneráveis a presença de animais e insetos. Não podemos esquecer que acabamos consumindo esta água e se acostumando com o paladar e praticamente não notamos diferença, desta forma indicando os cuidados acima descritos.
DR. Raul Cassel
CRM 15.315