Mortalidade infantil
A mortalidade infantil é a obtida pela quantidade de crianças que morrem antes de completar um ano em um determinado local, por mil nascidos vivos.

A avaliação deste dado é de fundamental importância para determinação da qualidade de vida, pois através deles obtemos dados da eficiência dos serviços público de saúde (atendimento médico, hospitais, postos de atendimento, vacinas, educação,saneamento básico, alimentação, etc. Através dos dados obtidos conseguimos mensurar a eficiência que os gestores públicos gerenciam os recursos disponíveis envolvidas com a saúde materno-infantil oferecendo bem estar, e não somente saúde, a sua população.

Os dados mostram que as causas perinatais são as principais causas de óbito infantis, relacionados a problemas na gravidez, no parto e nascimento. Entre os principais motivos estão a falta de assistência e orientação as grávidas, a deficiência na assistência hospitalar aos recém-nascidos e ausência de saneamento básico.

O índice considerado aceitável pela Organização Mundial de Saúde é de 10 mortes para cada mil nascimentos. As menores taxas ocorrem em países desenvolvidos como Japão, Noruega, Finlândia em torno de 3 por 1000 nascidos e os piores indicadores ocorrem em países pobres principalmente países africanos e asiáticos como o Afeganistão.
Conforme dados a mortalidade infantil no mundo é em torno de 45 mortes por mil nascidos vivos. No Brasil o índice é de 22 por mil nascidos em 2010 em Novo Hamburgo em 2012 o coeficiente foi de 11,90 por mil nascidos vivos.

Infelizmente nossa cidade esta a pelo menos uma década com os índices de mortalidade infantil estagnada e as políticas públicas empregadas pelos governos municipais são mais eleitoreiras do que visando reduzir os índices de morte infantil.

Dr Vitor João de Quadros Albé
Pediatra –  CRM 18205