O Desvio do Septo volta?
A Septoplastia, ou cirurgia do desvio de septo, é uma das cirurgias mais realizadas pelo otorrinolaringologista. É bastante compreensível que seja assim na nossa região, pois cerca de 70% da população caucasiana se apresenta com algum grau de desvio do septo nasal na vida adulta. Quando temos que submeter um paciente à septoplastia é bastante comum essa pergunta: O desvio de septo volta Doutor?
Mas antes de responder essa dúvida comum, acho importante explicar o que é o septo nasal. O septo nasal é uma parede de cartilagem e lâmina óssea que dividem uma narina (fossa nasal) da outra. Essa parede tem a espessura de um cartão de crédito, portanto bem fina. O Desvio de Septo é quando essa parede é deslocada para algum dos lados, causando um estreitamento daquele lado do nariz. O deslocamento pode ter graus variados e, portanto, com repercussões variadas na respiração nasal. Desvios pequenos e mais posteriores podem ser completamente assintomáticos, por outro lado os desvios mais intensos e anteriores costumam ser mais obstrutivos. Temos que considerar que o desvio de septo não é a única causa de obstrução nasal, temos aí o tamanho dos cornetos nasais (famosas carnes esponjosas, que todo mundo tem, porém algumas vezes são muito grandes), rinites e sinusites, tamanho das adenoides, etc.
O septo faz parte da estrutura central de sustentação do nariz, pois o nariz é uma estrutura tridimensional como se fosse uma casa, portanto com vigas e colunas para sustentação. Existem áreas do septo que fazem esse papel estrutural, portanto são áreas que se forem desfeitas podem causar um desabamento do dorso nasal com repercussões estéticas importantes.
Com esse entendimento em mente, agora posso responder a pergunta: não, o desvio de septo não volta! Essa dúvida surge porque alguns pacientes ficam com uma respiração satisfatória por algum tempo após a cirurgia e depois volta a incomodar. Isso pode acontecer por algumas razões, mas não por voltar o desvio. Uma possibilidade é de ter ficado algum desvio “residual” na primeira cirurgia justamente pelo desvio estar em uma área nobre de sustentação, tendo sido optado pela não correção total. Porém, a causa mais comum, é a rinite alérgica não tratada depois da cirurgia. Muitos pacientes acham que a cirurgia é uma solução mágica, que depois da cirurgia todos os problemas serão sanados, o que não é verdade. A rinite alérgica é um distúrbio imunológico, portanto não se modifica em nada com a cirurgia, o tratamento é exclusivamente clínico. Então, como a cirurgia abre espaço no nariz, os pacientes com rinite acabam não voltando a fazer o tratamento para a rinite alérgica, ocasionando, com o tempo, um aumento progressivo dos cornetos nasais (carnes esponjosas) e voltando a trancar o nariz.
O desvio do septo nasal é somente uma das causas obstrutivas nasais, a cirurgia não é uma solução mágica em todos os casos. O nariz precisa ser avaliado e tratado como um todo para o melhor benefício do paciente. Na dúvida, consulte seu otorrinolaringologista.
Dr. Eduardo Homrich Granzotto
CREMERS 27691
Fonte: Jornal NH – Caderno de Saúde – Segunda-feira, 11 de julho de 2016.