Rouquidão

A voz rouca (rouquidão ou disfonia) é um sintoma que acontece quando as cordas vocais não conseguem encostar adequadamente uma na outra ou a vibração é inadequada. Esse sintoma é bastante comum nessa época do ano devido à alta freqüência de gripes e resfriados presentes com o frio. Essas viroses causam laringite, que é uma inflamação nas cordas vocais. A inflamação leva a um inchaço das cordas vocais que impedem o seu fechamento e vibração adequados. Infecções virais têm duração limitada, com os sintomas durando entre 7-15 dias.

É comum preceder a rouquidão uma irritação na garganta e, concomitante com a disfonia, aparece a tosse seca e persistente. Entretanto a disfonia usualmente não passa de cinco dias. Se a pessoa apresenta alguma alteração (doença) na corda vocal, esse sintoma pode durar mais de semana, sendo que em três semanas a voz deve voltar ao normal. Portanto, qualquer alteração de voz que dure mais de três semanas, deve ser investigada.

As causas da persistência da rouquidão podem ser desde doenças tratáveis com medicamentos como o refluxo gastroesofágico até câncer de garganta. As causas diferem bastante dependendo da faixa etária.

A causa mais comum de disfonia na criança é a formação de nódulos (calos) nas cordas vocais, que são formados devido ao formato específico da laringe nas crianças e pelo abuso vocal comum nessa faixa etária. O formato da laringe das mulheres também favorece a formação de nódulos, que desenvolvem, normalmente, em mulheres que usam bastante a voz (professoras, funcionárias de telemarkting, cantoras, vendedoras, etc.). Rouquidão que se torna persistente após um abuso vocal agudo, como gritos em jogos de futebol, é altamente sugestiva de pólipo de cordas vocais. O pólipo é um “inchaço” localizado que não regride espontaneamente, necessitando de cirurgia.

Outras lesões benignas menos freqüentes são os cistos e sulcos das cordas vocais. Infecção por fungos na garganta também podem dar rouquidão persistente, porém é mais raro, sendo mais comum em pacientes com imunidade baixa ou que usam bombinhas de corticóide para asma. O uso por longos períodos dessas bombinhas também podem causar uma fraqueza no músculo da corda vocal, levando a rouquidão.

Se o paciente fumar ou ingerir bebida alcoólica com freqüência, a suspeita de lesão maligna aumenta consideravelmente. A boa notícia é que a chance de cura se aproxima dos 100% quando identificado e tratado precocemente.

A rouquidão significa um funcionamento inadequado das cordas vocais, que pode ser desde uma simples virose até um câncer de garganta. O meio diagnóstico adequado é através de exame endoscópico das cordas vocais. Portanto, voz rouca por mais de três semanas seguidas deve ser investigada. O otorrinolaringologista é o especialista capacitado para fazer a avaliação e tratamento adequados.

Dr. Eduardo Homrich Granzotto
CREMERS 27691