Setembro Verde

É uma campanha que alerta a população sobre a necessidade da prevenção do câncer  colorretal. É realizado pela Associação Brasileira de Prevenção de Câncer de Intestino (ABRAPRECI) em parceria com a Sociedade Brasileira de Coloproctologia. Estará em Porto Alegre, entre os dias 18 á 20 de Setembro o Intestino Gigante, na Rua Borges de Medeiros, 2500- Praia de Belas Prime Offices. O Intestino Gigante é uma oportunidade para adultos e crianças compreenderem a importância do intestino, como se formam as doenças e como é possível fazer a prevenção. O câncer colorretal é o único câncer que podemos prevenir cortando a sequência pólipo-câncer. Esta doença é comum e letal. O risco acumulado do ser humano de desenvolver um câncer colorretal ao longo da sua vida é de 6%. Para entendermos melhor a importância deste assunto, vamos demonstrar alguns dados estatísticos atuais. A estimativa de novos casos de câncer colorretal, no Brasil em 2016 é de 34280 (INCA). A maior incidência de câncer colorretal do Brasil é no Rio Grande do Sul, sendo que este já é o terceiro câncer mais comum em homens e mulheres. O câncer colorretal é infreqüente em pessoas abaixo de 40 anos. Alguns casos de câncer colorretal não se desenvolvem em pólipos, mas na maioria sim.

Os fatores de risco mais importantes para câncer colorretal são:
– Idade igual ou superior a 50 anos.
– História familiar de câncer ou pólipo.
– Hábitos alimentares.
– Fumo.
– Obesidade e sedentarismo.
– Doença intestinal inflamatória. (RCUI e doença CROHN)

Já é do conhecimento científico que pólipo intestinal ou retal para se transformar em câncer, demora em média 10 anos, sendo assim temos tempo suficiente para prevenirmos o câncer colorretal. Orientações que devem ser seguidas para a prevenção do câncer colorretal. Pesquisa histoquímica de sangue oculto nas fezes anualmente.Se positivo fazer colonoscopia. Iniciar este exame aos 50 anos. Colonoscopia a cada 10 anos a partir dos 50 anos ou em caso de histórico familiar, diminuir 10 anos se o familiar for acometido de câncer antes dos 60 anos. Este rastreamento é para pessoas assintomáticas. Para pessoas com sintomas, por exemplo, dor abdominal, alteração de hábito intestinal, sangramento anal e emagrecimento a investigação é imediata independente da idade.

Também se faz necessário a educação da população para tentarmos diminuir a incidência desta doença.
-Bons hábitos alimentares (fibras, comer pouca carne vermelha, pouca gordura e pouca fritura)
– Evitar obesidade
– Evitar álcool e fumo.
– Evitar sedentarismo.

Dr Amauri Gilson Zimmermann
CRM 11397
Especialista em colo-proctologia
Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia
Member of the American Society of colon and Rectal Surgeons

Fonte: Jornal NH – Caderno Saúde – Segunda-feira 05 de setembro de 2016.