Novos paradigmas para controle da osteoporose severa em mulheres

Novos paradigmas para controle da osteoporose severa em mulheres

Dois fatos importantes estão desencadeando uma maior mortalidade por fraturas em mulheres com osteoporose: a maior longevidade da população e o abandono mundial  da reposição hormonal  na menopausa cerca de 10 anos atrás,  por temor ao câncer de mama.           As pacientes mais magras e com menopausa mais precoce  têm maior risco de fraturar-se.  Acrescente-se ainda que à maior longevidade somam-se distúrbios e doenças que afetam a saúde dos ossos e aumentam os  riscos  das complicações das fraturas.           Por mais do 20 anos usa-se alendronatos, residronatos e similares no tratamento da osteoporose, MAS MUDOU; agora deve-se parar após 5 anos e […]

Novos paradigmas para controle da Osteoporose severa em mulheres

Novos paradigmas para controle da Osteoporose severa em mulheres

Dois fatos importantes estão desencadeando uma maior mortalidade por fraturas em mulheres com osteoporose:  a maior longevidade da população e o abandono mundial  da reposição hormonal na menopausa cerca de 10 anos atrás, por temor ao câncer de mama. As pacientes mais magras e com menopausa mais precoce têm maior risco de fraturar-se. Acrescente-se ainda que à maior longevidade somam-se distúrbios e doenças que afetam a saúde dos ossos e aumentam os  riscos  das complicações das fraturas. Por mais do 20 anos usa-se alendronatos, residronatos e similares no tratamento da osteoporose, MAS MUDOU; agora deve-se parar após 5 anos e tentar outras opções de tratamento. Cálcio e vitamina D estão […]